sábado, 1 de janeiro de 2011

Impressionantes Impressões


Impressões que impressionam... mas quem impressiona não são propriamente as impressões... são os sulcos que as almas têm que desenham o desenho que as impressões fazem... ou não. E as almas que se deixam impressionar? Essas almas são especiais; não são as que fazem grande alarido, certamente... pois que no meio do alarido, vão-se os pormenores da impressão... e os pormenores são tudo... não são? São pois... Para ocorrer a impressão tem de haver silêncio, pois que o banzé faz interferências entre os sulcos da alma e as impressões que por lá se querem encaixar... é preciso estar em silêncio... não calado, mas em silêncio. E as impressões impressionam. Impressionam mais os que maior indiferença demonstram... pois os verdadeiros indiferentes não é indiferença que demonstram... pois a atitude superficial raramente é a mais profunda... Sê-de bem vindos ao meu "Impressionantes Impressões"; aquele espaço que me ajuda a que o silêncio se faça ouvir... e que as impressões se façam aqui impressionar, de preto o branco desta tela de pintor que é o papel feito de pixéis em que escrevo aqui. Mas note-se... nada aqui foi feito para impressionar... se impressiona, não impressiona: sois vós que vos deixais impressionar...





Sem comentários: